quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Review: ⚡ Comacozer - ‘Astra Planeta’ (2016) ⚡

Da Austrália chega-nos a nova indagação espacial do power-trio Comacozer. Depois de lançado e muito elogiado o seu primeiro álbum ‘Deloun Sessions’ (review aqui), a banda natural da cidade de Sydney presenteia-nos com o fascinante e envolvente ‘Astra Planeta’ (lançado no passado dia 13 de Agosto em formato de vinil pela mão do selo holandês Headspin Records). Este novo registo destes audaciosos astronautas – que velejam a infinidade do oceano cósmico – representa a continuidade da deslumbrante e anestésica exploração astral iniciada no seu álbum de estreia. ‘Astra Planeta’ é uma bela e hipnotizante divagação espiritual pelos domínios mais distantes, gélidos e sombrios do Cosmos narcotizado. Baseada num delirante e estimulante Psych Rock aliado a um morfínico e viajante Space Rock que se desenvolvem, agigantam e resvalam num denso e robusto Psych Doom, a embriagante e contemplativa sonoridade de Comacozer tem o dom de nos desprender da gravidade consciencial e catapultar pela imensa vastidão cósmica, numa sagrada levitação que contraria a teoria da relatividade (de Albert Einstein). Na origem desta soberana hipnose estão uma guitarra endeusada que se passeia de forma extravagante pela atmosfera estelar de ‘Astra Planeta’, edificando deslumbrantes e sedosos riffs que nos massajam o cerebelo, e exorcizando etéreos, gélidos e ofuscantes solos que nos golpeiam e euforizam; um vistoso baixo de danças possantes e torneadas que nos mantém imortalizados num movimento corporal balanceado, e uma bateria estimulante de soberba condução rítmica. Este é um álbum de efeitos lenitivos que nos mantem entorpecidos ao longo da sua extasiante jornada musical. Mergulhem nas profundezas verticais deste ‘Astra Planeta’ e inalem o psicotrópico bocejo de um Cosmos adormecido.

sábado, 20 de agosto de 2016

Witch - 'Paralyzed' (2008)


Review: ⚡ The Doppelgängers - ‘The Left-Handed Stranger’ (2016) ⚡

De Wichita Falls (Texas, EUA) chega-nos o delirante e empolgante Prog Rock (com claras influências tanto do Psych Rock como do Funk) do quarteto The Doppelgängers. Lançado no passado mês de junho, este ‘The Left-Handed Stranger’ – que representa a promissora estreia destes quatro texanos – encerra um vertiginoso carrossel de dinâmicos riffs que nos hipnotizam, conduzem e afunilam numa interminável e caleidoscópica espiral. A sua sonoridade deliciosamente ritmada e envolvente, baseada em entusiásticos e serpenteantes riffs que desaguam em convulsivos, uivantes e alucinógenos solos, incita-nos a dança-la de forma detida e prazerosa. A sua ambiência astral faz-nos cair na profunda e aveludada verticalidade do Cosmos sideral e inalarmos toda uma inebriante aragem transpirada pelas estrelas. Deixem-se dominar pela poderosa e perfumada sedução emanada que este ‘The Left-Handed Stranger’ e vivenciem um perfeito e resplandecente estado de encantamento que vos imortaliza um sorriso no rosto, adormenta o olhar, e iça a alma pela infinidade espacial. Namorem um carismático teclado de elegantes, torneados e narcotizantes bailados, uma extasiante guitarra de fascinante e adorável condução rítmica, um baixo groove’sco de oscilação alegre, petrificante, robusta e agitada, e uma bateria funk’eana que se transcende nas suas inventivas e mirabolantes acrobacias. Este é um álbum apaixonante que nos persuade com tremenda intensidade. É humanamente impossível não obedecer à incrível, emocionante e redentora ritmicidade de ‘The Left-Handed Stranger’. Tudo nele nos obriga a dança-lo com uma entrega total. Confesso que The Doppelgängers foi-me uma verdadeira surpresa, e – na ressaca da sua audição – tudo em mim me faz considera-lo um dos mais excitantes discos do ano.