quarta-feira, 18 de abril de 2018

terça-feira, 17 de abril de 2018

🐙 Viaje a 800 - "3 Dios Astrónomo" (2007)

🧙 Witch - "Changing" (2006)

🏜 Yawning Man em Portugal // 11.09 Porto, Woodstock 69

Review: ⚡ The Crazy Left Experience - ‘Death, Destruction And Magic’ (2018) ⚡

Da capital portuguesa chega-nos o novo álbum de estúdio do power-trio The Crazy Left Experience apelidado de ‘Death, Destruction And Magic’. Lançado muito recentemente através do selo discográfico alemão Adansonia Records no formato físico de vinil, este renovado capítulo da sublime e fascinante odisseia cósmica trilhada pela banda lisboeta sustenta – a par do seu antecessor ‘Bill's 108th Space Odyssey’ (review aqui) – uma envolvente, agradável e estimulante sonoridade de onde se extrai um lenitivo, deslumbrante e explorativo Psych Rock em hipnótica consonância com um viajante, meditativo, morfínico e ofuscante Space Rock que nos desamarra da gravidade terrestre para nos transcender num vertiginoso mergulho cósmico. É à boleia das suas encantadoras jams de natureza sideral que somos abraçados e dissolvidos numa densa e dominadora narcose que nos climatiza e eteriza do primeiro ao derradeiro tema. São cerca de 32 minutos governados por uma atmosfera alienígena que nos intriga, seduz e magnetiza na direcção dos mais longínquos e secretos astros enraizados no negro solo astral. Recostem-se confortavelmente, respirem lenta e profundamente, desmaiem as pálpebras, e deixem-se induzir por um prazeroso estádio de intensa lisergia nutrida por uma guitarra vagueante que coloniza todo o Universo com os seus solos ecoantes, alucinógenos, ácidos e delirantes, um baixo hipnotizante de linhas pesadas, robustas, torneadas e pulsantes, e uma bateria cintilante, ritmada e relaxante que escolta todas as ousadas, extravagantes e arrebatadas digressões da guitarra pela infinita espacialidade de ‘Death, Destruction And Magic’. Este é um álbum que nos sulfata a alma de uma psicotrópica poeira estelar e estaciona a consciência num verdadeiro e edénico oásis espiritual. Um registo verdadeiramente transcendente - forjado e suspirado pelas estrelas – que nos aquieta e enfeitiça com a sua inebriante bafagem epicurista. Diluam toda a vossa lucidez na tranquilizante essência de The Crazy Left Experience e sintam-se naufragar pela desmesurada vastidão do oceano cósmico. Estamos mesmo na presença de um dos mais apaixonantes discos de origem nacional, e que certamente no final do ano rivalizará por uma das mais elevadas posições dos melhores álbuns lançados em 2018.

🌟 Hällas - Astral Seer

sábado, 14 de abril de 2018

Review: ⚡ Black Rainbows - 'Pandaemonium' (2018) ⚡

Da capital italiana chega-nos uma verdadeira dose de adrenalina via auditiva. ‘Pandaemonium’ é o novo álbum da já carismática banda romana Black Rainbows, lançado muito recentemente pela mão do produtivo e influente selo discográfico local Heavy Psych Sounds nos formatos físicos de CD e vinil. A par dos seus antecessores, ‘Pandaemonium’ presenteia e incendeia o ouvinte com um fervilhante, explosivo e alucinante Heavy Psych – de desenfreada rotação setentista e inflamado pelo ardente efeito fuzz – que o desata e impulsiona para uma crescente, frenética, vertiginosa e empolgante galopada sem travão à vista. A sua sonoridade intensa, dinâmica, revigorante e vulcânica – de propensão astral – mantem-nos fascinados e aprisionados na sua poderosa órbita gravitacional do primeiro ao último tema. São cerca de 45 minutos incendiados e esporeados por um entusiasmo febril que nos contagia e inebria sem qualquer reserva ou timidez. Sintam o vosso coração rufar, o corpo aquecer e a cabeça rodopiar à excitante boleia de uma guitarra eruptiva que se ostenta, carrega e agiganta em impetuosos, delirantes, estimulantes e fogosos riffs, e se transcende na criação de magnetizantes, viscerais e atordoantes solos, uma voz ecoante, emotiva, felina e provocante, uma bateria selvagem e opulenta de libertadora e aliciante orientação rítmica, e ainda um baixo de reverberação trovejante, densa e possante – conduzido a linhas pulsantes, obscuras, pesadas e dançantes – que sombreia, tonifica e mareia toda esta turbulenta e arrojada ambiência sonora de ‘Pandaemonium’. É-me importante ainda distender o elogio ao exótico e magnífico artwork superiormente delineado pelo virtuoso ilustrador milanês SoloMacello que confere rosto a este pujante disco de consumo impróprio para cardíacos. Este é um álbum atestado de uma desarmante explosividade que nos mantém perpetuados num perfeito estádio de comoção. Um registo verdadeiramente envolvente e cativante que nos agarra com firmeza e violentamente arremessa pela infinidade cósmica. Embebedem-se nele.

📀 All Them Witches: novo álbum a caminho!

🏂 Fu Manchu

🍁 Espers - "Dead Queen" (2006)